Que o Código de Ética da OAB impõe limitações à propaganda, é verdade. Porém, com a adoção de algumas estratégias, é possível, sim, se fazer presente no mercado e expor o seu trabalho, sem violar as regras desse meio profissional — e o blog jurídico é perfeito para isso!

Afinal, com a difusão das tecnologias e dos meios de comunicação, a internet, hoje, é de fácil acesso pelas pessoas. Além disso, com tantas fontes disponíveis, a busca por informações tem se intensificado, e a rede virtual acaba sendo o meio mais utilizado para encontrá-las.

Continue a leitura e entenda como um blog jurídico pode ajudar você a atrair mais clientes para o seu negócio.

Por que um escritório deve ter um blog jurídico?

O fato de haver regras que restrinjam a publicidade na advocacia não significa que ela não possa existir. Aliás, o artigo 39 do Código de Ética da OAB determina que ela deve ter caráter meramente informativo, bem como adotar discrição e sobriedade.

Ainda, ela não pode configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão. Portanto, o advogado pode expor a sua atividade, com limites. É nesse contexto que o blog jurídico se mostra bastante eficiente e oferece muitas vantagens.

Por possibilitar a veiculação de conteúdos informativos, ele é um meio de o profissional ou escritório de advocacia se apresentar no mercado que modo que não fere o Código de Ética. Além disso, ele é capaz de aumentar as chances de você ser encontrado em mecanismos de pesquisa.

Há, também, o fato de que é comum que as pessoas tenham dúvidas sobre direitos básicos. Os blogposts ajudam a esclarecê-las ao mesmo tempo em que cria uma conexão entre esses possíveis clientes e o profissional do meio jurídico. Ou seja, ele permite, então, o primeiro contato entre as partes.

A constante publicação de textos com dados relevantes pode fazer com que você ou o seu escritório sejam reconhecidos no meio jurídico. Dessa forma, conquista-se autoridade no assunto, o que aumenta a probabilidade de ser demandado para ações judiciais complexas e que envolvam aquele tema.

Outro benefício de explorar esse meio de comunicação é a possibilidade que ele oferece de interagir com outros advogados. Ou seja, o blog acaba se tornando uma boa maneira de buscar parcerias, que podem enriquecer o trabalho de cada um dos parceiros. Isso se deve ao fato de que, quanto mais amplo o networking, maior é a chance de ser indicado a algum cliente.

Como criar um blog jurídico?

Agora que você já entende a importância de contar com um blog jurídico para você ou o seu escritório, agora é hoje de saber como criar um. E saiba que não é tão difícil assim, basta seguir os passos a seguir.

Crie uma persona

Antes de começar a escrever e publicar textos, é preciso ter em mente o público que você pretende alcançar. Trata-se de definir a sua persona, uma pessoa fictícia, cujas características específicas se identificam com aquelas que os seus futuros clientes apresentam.

A partir disso, será possível entender quais os problemas que os clientes para quem você pretende trabalhar têm. Ainda, os seus interesses e como elas se comportam ao contratar um advogado. Assim fica mais fácil se comunicar com elas de maneira mais acertada, concorda?

E isso é ainda mais eficiente, se considerarmos que, atualmente, os usuários da internet têm tendência a rejeitar mensagens com perfil de SPAM ou propagandas invasivas. O que se quer é um contato mais personalizado, e a criação de uma persona ajuda bastante a alcançar esse objetivo.

Defina os assuntos a serem abordados no blog jurídico

Criada a sua persona, é chegada a hora de definir quais assuntos serão abordados no seu blog jurídico. Para isso, liste os tipos de atividade com os quais você ou o escritório trabalham. Vocês prestam serviços em Direito Empresarial, Direito Trabalhista ou Direito Tributário, por exemplo? Então, prefira publicações que lidem com esses temas.

Lembre-se de que os blogposts são instrumentos para expor o seu trabalho. Então, de nada vai adiantar tratar de temas que não tenham relação com ele, portanto, mantenha o foco. Vale lembrar, também, que se especializar em determinadas matérias é uma boa estratégia para transmitir credibilidade como especialista.

Registre um domínio

Enfim, nessa etapa, o blog propriamente dito começa a tomar forma. Primeiramente, é preciso registrar um domínio, ou seja, o endereço eletrônico. Após isso, estruture o blog como preferir, inclua o símbolo do escritório e outras imagens.

É preciso, também, criar uma identidade visual, e para isso, escolha duas ou três cores — de preferência mais sóbrias, pois o meio profissional exige um ar mais sério. Se quiser um resultado melhor, considere contratar um designer para pensar nesses detalhes.

Caso você ofereça suas atividades ou do escritório em mais de uma área jurídica, é preciso ter uma landing page para cada um dos serviços oferecidos. Isso consiste em páginas de aterrissagem, ou seja, para onde o usuário será direcionado quando uma pesquisa apontar o seu link como referência. Isso facilita o acesso a ela por mecanismos de busca.

Produza conteúdos relevantes

Antes de qualquer coisa, é preciso entender que os sites de pesquisa consideraram importantes e evidenciam conteúdos que utilizam determinados termos — é o que se chama de “palavra-chave”. Portanto, ao escolhê-la, utilize ferramentas como o SEMrush ou o Key Word Tool para analisar a recorrência de termos pesquisados em site como o Google, revelando quais são as melhores para otimizar o tráfego na sua página.

Depois de decidir as palavras-chave, elabore o texto que vá utilizá-las — crie (não copie!) artigos sobre temas interessantes. Utilize períodos e parágrafos curtos para facilitar a leitura do visitante do blog. Use uma linguagem acessível e evite o “juridiquês” excessivo.

Você pode fazer posts sobre novas legislações ou decisões de grandes tribunais. Outra boa opção é postar textos que contenham dados jurídicos ou direitos pouco conhecidos. Mantenha a frequência nas postagens e aproveite o espaço para dar dicas de como procurar profissionais competentes para ajudar na solução de problemas.

Otimize o tráfego

Essa é uma estratégia de marketing digital bastante útil. Destaque trechos dos textos, criando links para outros conteúdos do próprio blog relacionados àquele, ou de sites reconhecidos naquele ramo. Assim, você conseguirá manter a pessoa por mais tempo navegando na sua página, acessando assuntos diversos. Essa também é uma forma de dar maior credibilidade ao que está sendo informado.

Evite infrações ao Código de Ética da OAB

Tudo isso é válido, mas, não se esqueça: seja discreto e sóbrio e não utilize o blog de forma a configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão. Portanto, não induza o ajuizamento de ações judiciais, nem ofereça seus serviços diretamente para isso.

Sendo assim, você pode perceber que, embora o regramento da profissão crie restrições para a publicidade, ele não veda que esta ocorra na internet. Nesse sentido, considerando que rede virtual está muito difundida, ela acaba se tornando um meio eficaz para que o advogado exponha o seu trabalho.

Então, por que recorrer aos meios tradicionais e menos eficientes se você pode utilizar a internet como aliada para captar clientes? O blog jurídico tem papel importante nisso, já que é capaz de atingir um grande número de pessoas. Siga esse passo a passo, crie um para você e usufrua de todas vantagens que ele oferece!

Agora que você já sabe como um blog jurídico pode ajudar a atrair mais clientes, quel tal descobrir outras formas de promover a sua imagem usando as redes sociais?

Powered by Rock Convert