A consolidação de um escritório de advocacia no mercado jurídico requer muito trabalho e dedicação, além de muito estudo. O conhecimento pode ser encontrado em diversas fontes, como livros, cursos, conversas com colegas e também em conteúdo especializado na internet.

O advogado que pretende crescer e conquistar mais clientes precisa estar antenado com as soluções que auxiliam a controlar melhor os processos internos. Afinal, gerenciar melhor o negócio aumenta a lucratividade, otimiza o atendimento e garante o sucesso do escritório de advocacia.

Descubra neste artigo como expandir os horizontes de sua atuação e aumentar o renome de seu escritório. Separamos a seguir as principais áreas de atenção para uma estratégia vencedora! Acompanhe!

Gestão eficiente

A administração de um escritório de advocacia vai muito além de otimizar a gestão de processos judiciais e oferecer soluções aos casos dos clientes. A excelência técnica e um bom atendimento são cruciais, mas não são capazes de, por conta própria, garantir o sucesso do negócio. Além de um bom trabalho no atendimento jurídico, é importante que seja feita uma gestão eficiente do empreendimento.

O negócio da advocacia tem características específicas que precisam ser levadas em consideração pelo gestor. Cultivar hábitos positivos e processos de gestão podem assegurar a rentabilidade. A seguir, listamos alguns indicadores que precisam ser considerados para uma gestão profissional realmente eficaz.

Gestão de pessoas

As pessoas são o principal cartão de visitas de um escritório de advocacia. Uma equipe bem treinada, comprometida com a excelência no atendimento ao cliente, pontualidade e capacidade técnica é fundamental para manter o escritório no caminho para o sucesso.

A boa gestão de pessoas é um grande diferencial para o empreendimento. Uma equipe satisfeita com as condições de trabalho entrega resultados muito superiores, além de transmitir a autoridade e profissionalismo do escritório ao mercado.

A gestão de recursos humanos é composta por uma série de estratégias utilizadas para administrar os relacionamentos internos, contratar novos talentos, reduzir a rotatividade da equipe e aprimorar a qualidade técnica dos profissionais. Os funcionários devem ser escolhidos não apenas por suas capacidades técnicas, mas também por seu alinhamento com os valores do escritório e seu desejo de seguirem o caminho descrito no plano de carreira.

Para tanto, o escritório deve criar um plano de gestão de pessoas, também conhecido como planejamento estratégico de recursos humanos. Um bom plano de gestão de pessoas traz uma listagem dos funcionários e cargos que o escritório de advocacia já tem e também aqueles que ainda deseja contratar. Também elabora um roteiro básico para que a relação com os funcionários seja conduzida da melhor forma possível.

Os pilares fundamentais da gestão de pessoas devem ser considerados no momento de elaborar os planos de gestão. São eles:

  • motivação;
  • comunicação;
  • trabalho em equipe;
  • conhecimento e competência;
  • treinamento e desenvolvimento.

Todas essas variáveis precisam ser pensadas de acordo com as necessidades do escritório e devem respeitar a cultura e valores do empreendimento. Separamos abaixo alguns itens que devem ser pensados para a criação de um plano de gestão de pessoas:

  • análise do momento do escritório;
  • identificação de falhas e acertos;
  • identificação de pontos fortes e melhorias a implementar;
  • identificação de necessidades do escritório;
  • criação de estratégias para atender às necessidades.

A gestão de pessoas é uma ótima ferramenta para otimizar as condições de trabalho do escritório de advocacia e aumentar a autoridade de mercado e satisfação da equipe.

Controle financeiro

Outro elemento que se destaca na gestão do escritório é a manutenção de um bom controle financeiro. O gestor deve acompanhar os números de forma consistente. Uma gestão financeira competente é capaz de aumentar a lucratividade do negócio sem que seja preciso um aumento de faturamento.

O primeiro passo para uma boa gestão financeira é acompanhar as despesas fixas e variáveis. Esses indicadores serão os responsáveis por definir qual é o custo de sua atividade. Saber o custo é o primeiro dado necessário para avaliar a lucratividade do escritório.

Além de conhecer os custos, é imprescindível acompanhar o faturamento. Identificar as receitas e acompanhar quais são as atividades que geram maior faturamento são ações que ajudam a estabelecer os pontos fortes do negócio.


Quando tudo estiver em ordem, é hora de pensar no futuro. Criar uma reserva de emergência para o caso de queda repentina no faturamento pode livrar o escritório de advocacia do endividamento. Planejar investimentos é outra forma de fazer com que ele tenha todas as ferramentas e manutenção necessárias para continuar competitivo.

A confrontação dos custos e do faturamento possibilita diversas análises. Primeiro, é possível verificar a lucratividade. Ademais, pode-se identificar uma determinada área ou atividade que custa muito mais dinheiro do que se obtém com ela. Todos esses fenômenos levam ao próximo item de uma boa gestão: a definição do valor dos honorários.

Cobrança de honorários

Um controle financeiro adequado permite conhecer o custo da atividade como um todo e também quanto custa para o escritório realizar um determinado serviço. Com esse tipo de informação, a formulação de uma proposta de honorários deixa de ser um exercício de adivinhação e passa a ser feita de forma racional.

Além do custo, um outro elemento que faz muita diferença na hora de estabelecer o valor dos honorários é o tempo. Serviços que duram muito tempo, como processos judiciais, não podem ser cobrados da mesma forma que um serviço que tem prazo determinado. O tempo da equipe tem um custo que deve ser coberto pelas receitas do escritório.

Para a atividade ser sustentável, é preciso que evitar a prática de “pagar para trabalhar”. Os custos devem ser considerados na cobrança de honorários, garantindo a verdadeira lucratividade do negócio.

Controle do fluxo de trabalho

Uma boa gestão do fluxo de trabalho no escritório de advocacia é um dos segredos para assegurar a eficiência, aumentar a lucratividade e manter a satisfação dos clientes. A falta de organização da rotina pode afastar clientes. Se os advogados não conseguem identificar o trabalho a ser feito, como serão capazes de informar os clientes sobre o status do trabalho?

O fluxo de trabalho nos escritórios pode ser bastante complexo. Prazos processuais, tarefas de rotina e acompanhamento, resposta às consultas, entregas de relatórios e atividades externas são alguns dos muitos tipos de atividades que costumam permear a rotina dos escritórios de advocacia.

Controlar o fluxo de trabalho envolve a definição de prioridades, padronização de rotinas e também delegar as tarefas de forma inteligente. Uma boa forma de melhorar a gestão dessas diversas variáveis é utilizar a tecnologia para melhorar a gestão dos processos.

Automação de processos

As inovações tecnológicas proporcionam uma série de ferramentas úteis e específicas para o escritório de advocacia. O uso de um software jurídico auxilia a diminuir o tempo gasto com tarefas repetitivas e com baixo valor agregado.

automação dos processos nos escritórios é uma estratégia que otimiza a gestão do tempo das equipes. Por isso, a utilização da tecnologia na advocacia é uma das grandes tendências do mercado jurídico e não pode ficar de fora do planejamento de um gestor que pretende que seu empreendimento cresça e se modernize.

Correspondente jurídico

Outra forma de ampliar a atuação do negócio de maneira prática e econômica é contar com a assessoria de um advogado correspondente para as localidades fora da sede do escritório de advocacia. A contratação de correspondentes jurídicos para diligências em outras cidades ou estados é uma prática comum e que agiliza o trabalho.

Assim, o uso dos correspondentes jurídicos traz inúmeras vantagens, como:

  • otimização do tempo da equipe interna;
  • aumento de produtividade;
  • redução de custos com deslocamentos;
  • maior alcance territorial na atuação;
  • possibilidade de realizar mais compromissos simultâneos;
  • agilidade na prestação dos serviços;
  • possibilidade de realização de diligências urgentes mesmo em localidades distantes.

A atividade de correspondente jurídico é uma tendência do mercado da advocacia que o escritório deve saber utilizar para garantir uma prestação de serviços ágil e de qualidade.

Investimento em marketing

O escritório de advocacia pode implementar estratégias de marketing, desde que isso seja feito respeitando a legislação vigente. Nesse sentido, o marketing jurídico consiste em diversas estratégias para fortalecer a marca do negócio e viabilizar a conquista de novos clientes, sem desrespeitar os princípios éticos da advocacia.

Criar e trabalhar a marca do escritório demanda planejamento detalhado e consistência na aplicação das iniciativas de marketing. Tendo em vista que a criação de uma marca forte vai muito além dos logotipos e material de papelaria, é importante que o escritório transmita ao público seus valores e profissionalismo, por meio de uma vigorosa tática de marketing jurídico.

Descubra o marketing jurídico

O marketing jurídico pode beneficiar escritórios de qualquer tamanho, e contribui para o crescimento do negócio e consolidação da autoridade da marca no mercado jurídico. Em ambientes altamente competitivos, como é o mercado da advocacia, uma boa estratégia de marketing é um grande diferencial.

O objetivo das estratégias de marketing jurídico é criar uma boa reputação no mercado, que auxiliará na atração de novos clientes e também na manutenção dos atuais. Porém, a conquista de notoriedade requer regularidade no trabalho da marca, assim como eficiência nos serviços jurídicos e atendimento aos clientes.

Para que o escritório conquiste e fidelize clientes, um bom marketing jurídico atua em diversas frentes:

  • produção de conteúdo: consiste na produção de conteúdo relevante e de qualidade dentro da área de atuação do escritório. Os conteúdos devem ser informativos e educacionais;
  • presença em eventos: os membros do escritório devem investir na participação em eventos, feiras e palestras da área de atuação do negócio e também dos setores sociais de seus clientes;
  • investir no relacionamento: o escritório deve buscar conexão entre pessoas do mesmo meio de atuação e também da sociedade como um todo, podendo fazê-lo por meio de atuação em entidades de classe, associações profissionais e manutenção de relacionamento com clientes de forma proativa.

Defina a identidade visual

Além das estratégias de marketing jurídico de relacionamentos, é importante pensar na criação da logomarca, escolha das cores e identidade visual do escritório. Nesse momento, é importante lembrar da sobriedade e discrição pertinentes a toda a comunicação visual na advocacia.

O escritório deve buscar um profissional qualificado para melhor transmitir a personalidade do negócio na comunicação visual. Todos os elementos devem ser bonitos e de fácil identificação, uma vez que serão utilizados no site e em redes sociais, e claro, em papel timbrado, cartões de visita, assinaturas de e-mail e materiais diversos de divulgação.

Desenvolva a marca do escritório

A marca de um escritório de advocacia está diretamente relacionada à sua autoridade no mercado jurídico. Quando é bem construída, portanto, é capaz de ressaltar os diferenciais do negócio e sua qualidade técnica.

Desse modo, é por meio da marca que os valores do negócio devem ser transmitidos aos clientes e ao mercado, com todas as estratégias de marketing devendo ser direcionadas a reforçar a percepção desses valores pelo público.

Para começar a construir a marca do escritório, deve-se identificar quais são os objetivos do negócio, quais clientes se pretende atrair, os pontos fortes e qual a imagem que se pretende transmitir. Quanto mais objetiva e detalhada for a identificação, mais fácil será o planejamento da marca.

Mais do que escrever uma carta de intenções, a marca deve ser equivalente às verdadeiras características do escritório. O trabalho diário deve ser compatível com seus objetivos e clientes. De nada adianta atrair uma grande quantidade deles se não houver fidelização. Promessas realistas são muito melhores do que promessas não cumpridas.

Transmita a marca

Para garantir que os valores e objetivos estão sendo transmitidos da mesma forma por todos os membros do escritório, é importante começar as estratégias de fortalecimento internamente. Os membros da equipe devem saber comunicar de forma simples qual é o trabalho realizado, quais os serviços oferecidos e os diferenciais do negócio.

Além dos funcionários, os colegas e amigos, fornecedores e prestadores de serviço também fazem parte da comunidade que deve saber de cor quais são os principais elementos da marca do escritório. Esses são os maiores divulgadores do negócio e têm um papel muito importante no mercado jurídico, que se fundamenta especialmente na confiança.

Além de manter uma boa comunicação interna, é importante transmitir a marca do escritório de advocacia à comunidade jurídica e possíveis clientes. Isso é feito por meio da construção e manutenção de relacionamentos.

Por último, lembre-se de que uma marca bem construída não funciona a menos que o escritório coloque em prática todos os valores que divulga. Não basta ter um bom marketing. É preciso que ele seja suportado por uma atuação excelente. Desenvolver as habilidades da equipe, investir em especialização e respeitar os ditames éticos farão com que o escritório siga adiante e tenha credibilidade.

Evite infrações éticas

Conforme já exposto, a advocacia apresenta uma série de limitações à publicidade, para que se garanta a sobriedade das comunicações e se preserve a dignidade da publicação. Em razão disso, deve-se prestar atenção às principais condutas proibidas ao planejar a estratégia de marketing do escritório de advocacia. São elas:

  • não anunciar o escritório em programas de rádio ou TV;
  • não patrocinar eventos que não pertençam ao ambiente jurídico;
  • não realizar anúncios no formato comercial ou mercantil;
  • não oferecer consultas gratuitas;
  • não divulgar os valores dos serviços em anúncios;
  • não utilizar símbolos da república ou da OAB nos anúncios;
  • não utilizar cores extravagantes e chamativas;
  • não oferecer serviços com resultado garantido, popularmente conhecidos como “causa ganha”;
  • não utilizar fotos de prédios de Tribunais.

Essas vedações são bastante objetivas e buscam proteger os contratantes de serviços jurídicos. É importante ressaltar que o marketing jurídico não é proibido, desde que seja feito de forma ética e responsável.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico aplicado ao escritório de advocacia pode parecer algo distante e inacessível. Na verdade, é uma estratégia que direciona de forma objetiva os caminhos do negócio.

Pensar o escritório e os rumos desejados para o empreendimento em curto, médio e longo prazo ampara as definições do planejamento estratégico de sucesso. Veja abaixo os principais passos de um planejamento estratégico eficaz para seu escritório.

Faça as perguntas corretas

Reúna os membros do escritório para pensar os rumos do negócio. Pode parecer estranho incluir a participação dos funcionários, mas é importante pensar em como a gestão da carreira deles influencia a trajetória do escritório. Com todos reunidos, é hora de pensar e fazer perguntas:

  • o que queremos para o escritório nos próximos anos? E para nossas carreiras?
  • quais são os sonhos para o futuro?
  • existem áreas em que desejamos atuar e ainda não atuamos?

Depois de ouvir todas as respostas, os gestores devem buscar uma sinergia entre os desejos individuais e os do negócio. A ideia é criar um sonho conjunto, que seja um desafio e uma motivação para todos os membros da equipe.

Identifique obstáculos

Depois de aprender quais são os sonhos e metas para o escritório e seus membros, é hora de buscar o meio de alcançá-los com uma pergunta: quais são os obstáculos que nos impedem de estarmos onde queremos hoje mesmo?

A identificação dos obstáculos é decisiva para que seja possível criar um planejamento estratégico realista, baseado na superação dos obstáculos. É essencial que seja feito um brainstorming bastante abrangente na identificação de obstáculos, para que se tenha uma visão ampla das possibilidades.

Crie um plano de ação

Com as informações obtidas nas etapas anteriores, é hora de trazer os sonhos para a realidade! Pensando na remoção de cada um dos obstáculos e o atingimento das metas, deve-se perguntar quais as próximas ações físicas e possíveis para execução imediata.

Uma boa conduta é utilizar o método SMART para redigir o plano de ação. SMART é uma sigla que vem do inglês e serve para identificar todos os elementos para redação dos objetivos. São eles:

S – Specific, ou específica

A primeira etapa para a construção de um objetivo SMART é ser específico. Isso significa que é importante saber exatamente quando a meta foi alcançada apenas por ler seu enunciado. Um bom exemplo de objetivo específico para um escritório de advocacia que está fazendo seu planejamento estratégico seria “abrir o departamento de contencioso tributário”.

M — Measurable, ou mensurável

Para que seja possível gerenciar os resultados, é importante que o objetivo possa ser medido. Assim, é necessário que seja possível medir o sucesso, preferencialmente, por um critério numérico. Retomando nosso exemplo anterior: “abrir o departamento de contencioso tributário do escritório, conquistando pelo menos duas ações”.

A — Attainable, ou atingível

As metas precisam ser realistas, atingíveis. Assim, deve-se analisar se os objetivos identificados são mesmo realistas. A ideia é evitar desmotivar a equipe com exigências absurdas.

Analisando nosso exemplo mais uma vez, é bastante razoável imaginar que um escritório de advocacia conquiste dois contratos de processos, especialmente, se for determinada uma quantidade de tempo razoável, como veremos abaixo.

R — Relevant, ou relevante

A relevância do objetivo deve ser verificada de acordo com o impacto que ela gera no negócio. Uma meta que não agregue valor ao escritório não compensa a energia e recursos gastos para atingi-la.

Examinando nosso exemplo, fica bastante claro que há muita relevância em empreender em uma nova área de atuação: as possibilidades de conquistar novos clientes e gerar crescimento para o escritório são muito relevantes.

T — Time based, ou temporal

Por fim, é recomendável definir um espaço de tempo para cumprimento dos objetivos, já que qualquer meta traçada precisa de prazo para ser cumprida. Para incluir o elemento temporal em nosso exemplo, teríamos: “abrir o departamento de contencioso tributário do escritório, conquistando pelo menos duas ações no prazo máximo de um ano”.

Acompanhe a execução

organização para o cumprimento das tarefas relacionadas aos objetivos definidos no planejamento estratégico deve incluir o acompanhamento periódico das ações. Com isso, é possível agir e corrigir o curso dos planos em eventuais dificuldades.

Um escritório de advocacia próspero reflete a preparação de seus gestores e a implementação de boas práticas que buscam aumentar a produtividade e otimizar o atendimento. Ter uma gestão eficiente, automatizar processos, investir em marketing jurídico e planejamento estratégico são atitudes que pavimentam o caminho ao sucesso.

Agora que você já aprendeu mais sobre estratégias para levar seu escritório de advocacia ao topo, assine nossa newsletter para continuar acompanhando conteúdos como este!

Powered by Rock Convert