A identidade visual é todo o esquema de símbolos, tipografia e cores de uma marca, compreendendo tanto o sistema gráfico quanto o estético. Ela costuma revelar muito sobre a marca, seus padrões e valores, além de parâmetros como organização, competência e seriedade.

A identidade visual para advocacia não é diferente, já que definirá a primeira impressão que as pessoas terão sobre o escritório e seus serviços prestados. Por essa razão é que ela deve ser definida com muito cuidado e atenção pelos gestores. 

Continue lendo o post para aprender algumas dicas de como criar identidade visual para advocacia!

1. Tenha em mente a área de atuação do escritório de advocacia

A área de atuação e o porte do escritório costumam ditar o perfil de seus clientes, por isso tudo deve estar em sintonia com a identidade visual do escritório. Nesse sentido, escritórios com atuação concentrada em questões tributárias e societárias podem conter elementos que remetam à força e imponência, com fontes clássicas e cores frias.

Já escritórios cujo ramo de atuação se concentre em direito de família e sucessões podem seguir uma linha mais intimista, com uso de cores quentes e uma tipografia mais sutil.


2. Defina as cores

A definição da cor é essencial na identidade visual e deve corresponder à mensagem ou impressão que se pretende transmitir. O ideal é optar por poucas tonalidades, no máximo três, para que não fique confuso.

Além disso, é interessante evitar cores da moda e optar por tons atemporais para que a identidade possa se perpetuar. No ramo jurídico, o ideal é privilegiar tons sóbrios e discretos e fazer uma combinação inteligente e harmônica de cores, como cinza e azul.

3. Escolha o tipo gráfico e o símbolo

Na identidade visual de um escritório de advocacia o recomendado é usar tipos gráficos regulares, formais e uniformes, evitando tipos rebuscados e exagerados. Essa definição deve tender a um estilo mais elegante.

Quanto à escolha do símbolo, o ideal é que seja exclusivo, mas podem ser usadas variações dos símbolos do Direito, como a deusa grega da justiça e a balança da justiça. Caso opte pela variação desses símbolos comuns, pode-se privilegiar a estilização, mas sem destoar da formalidade que reveste o Direito.

É importante ter em mente que o símbolo é o que fica mais forte na mente das pessoas quando se trata de reconhecimento e associação do nome à marca, por isso ele deve ser bem pensado e coerente com os valores do escritório.

4. Reproduza a identidade visual em todo o material do escritório

A finalidade da identidade visual é facilitar o reconhecimento do escritório, assim, qualquer pessoa que vir o logotipo saberá que se trata de determinado escritório, mesmo que ela não se lembre do nome.

Por essa razão, é importante reproduzir a identidade visual em todos os materiais e páginas do escritório, desde sua fachada até as cores adotadas em seu interior, passando pelo cartão de visitas, o site e mídias sócias, até o papel timbrado (ou o arquivo, nos processos eletrônicos) no qual se redige a petição. Assim, tanto os clientes quanto os demais profissionais do ramo poderão reconhecer o trabalho do escritório.

Dessa forma, elaborar a identidade visual é fundamental para qualquer escritório, independentemente de seu porte. Agora que você já sabe como criar identidade visual para advocacia, já pode colocar em prática.

Ficou interessado em aprender ainda mais? Aproveite para ler sobre como reduzir custos em escritório de advocacia.

Powered by Rock Convert