O universo do Direito é bastante abrangente e permite que os profissionais atuem em diversos segmentos. Assim que se forma na faculdade, ele tem um leque muito amplo de opções — se tornar advogado com sua própria clientela, fazer concurso público e ser um servidor do governo, investir na carreira acadêmica, ou então especializar-se em prestar serviços de correspondente jurídico.

Esse último caminho vem ganhando cada vez mais relevância no mundo jurídico. Também chamada de advocacia de apoio, o profissional é responsável por trabalhar na realização de tarefas especializadas para outros profissionais, solucionar questões de emergência, e mesmo as tarefas de logística de protocolar peças processuais, tirar xerox do processo e fazer carga dos autos, entre outras atividades.

Trata-se de uma forma de diversificar o campo de atuação e melhorar a visibilidade na carreira. Apesar da importância dessa atividade para a advocacia e os benefícios de atuar nesse segmento, essa função é cercada de desafios, como a forte concorrência e a especialização crescente dos profissionais.     

Quer alavancar os seus resultados e se destacar perante o mercado? Este artigo vai abordar as principais questões envolvendo os serviços de correspondente jurídico. Acompanhe a leitura.

O que é um correspondente jurídico?

correspondente jurídico é o profissional que atua realizando serviços específicos para advogados, empresas e escritórios de advocacia. Estes serviços inicialmente eram contratados principalmente em função da distância do contratante que estão situados em outros no mesmo município que o correspondente, ou até mesmo em outros Estados.

Assim, quando era necessário efetuar diligências em comarcas distantes, tornava-se mais vantajoso entrar em contato e acabar contratando um correspondente jurídico para realizar determinados serviços.

mas, muito embora estas premissas ainda sejam verdadeiras, o trabalho do correspondente jurídico ganhou nova amplitude e novo significado, inserindo-se no conceito de economia colaborativa, ou seja, não é mais simplesmente fazer uma diligência processual. Essa tarefa vai muito além disso, e envolve o trabalho direto em uma rede de compartilhamento.

Qual é a função do correspondente jurídico?

O correspondente costumava desempenhar atividades tradicionais como a distribuição e protocolo de peças processuais, comparecimento à audiência representando o advogado que foi constituído e não pôde ir, digitalizar e fazer cópia de folhas do processo, levantamento de alvará, despacho com o juiz ou o chefe de secretaria, solicitação de certidão, pagamento de guias etc.

Hoje em dia, além dessas tarefas, o correspondente jurídico é também um colaborador em tarefas intelectuais, como a realização de peças especializadas, como iniciais, quesitos e recursos (inclusive para Tribunais Superiores), de acordo com sua especialização e aptidão, que talvez não seja a mesma de quem é o contratante e que portanto necessita desse aporte de conhecimento. Mesmo o próprio acompanhamento ordinário de processos pode ser entregue ao correspondente, que informará o contratante de eventos críticos. 

Apesar de poder realizar uma grande variedade de atividades, é importante dizer que o profissional pode não guardar nenhum tipo de vínculo direto com o processo em si, a não ser que o ato para o qual ele foi contratado exija representação. Isso significa que ele pode não ser nomeado nos autos como um advogado efetivo nem é considerado um representante legal dos clientes, mas se constitui em um profissional de apoio ao advogado da causa e representante do cliente.

O correspondente jurídico deve ser necessariamente um advogado, caso seja contratado para a realização de ato privativo da profissão. Nesse cenário, é importante mencionar que o exercício irregular da profissão é crime e pode se configurar em uma das figuras a seguir previstas no Código Penal: estelionato (art. 171), uso de documento falso (art. 297), falsidade ideológica, (art. 299) e falsa identidade (art. 307).

Quais são as vantagens de contar com os serviços de correspondente jurídico?

A atuação de um correspondente jurídico traz várias vantagens. Confira, a seguir, os principais benefícios nesse sentido.

Compartilhar conhecimentos e especializações

O profissional acaba adquirindo um sólido conhecimento teórico e  prático sobre toda a rotina forense, os trâmites administrativos nas varas, o andamento dos processos etc. Além disso, ele consegue ter um grande conhecimento sobre as leis, posições doutrinárias, entendimentos jurisprudenciais etc.

Todo esse entendimento raramente seria obtido em outro ambiente, nem mesmo em escritórios. Desse modo, ele vai se tornando um verdadeiro conhecedor dessa área e poderá compartilhar o conhecimento que adquiriu com outros profissionais.

Fazer networking

Os serviços de correspondência jurídica representam uma grande oportunidade para manter contato direto e frequente com outros profissionais do setor. Assim, há a possibilidade de ampliar, de maneira exponencial, o networking jurídico.

E sabemos que quanto mais contatos e relacionamentos benéficos o advogado tiver, maiores são as chances de se desenvolver na carreira. Assim, ele tem a possibilidade de conviver com seus colegas de vários locais, coletar mais conhecimento e acabar tendo mais chances de ser convidado para atuar em determinados casos — e até ser contratado como advogado efetivo.

Ganhar visibilidade

Investir na visibilidade é um dos fatores mais importantes que levam ao sucesso na carreira de um advogado. Nesse sentido, existem diversas plataformas online que proporcionam um contato direto entre os correspondentes e seus contratantes. Esses sites funcionam como uma espécie de divulgação de serviços.

Assim, é possível localizar advogados correspondentes de qualquer cidade e proceder à devida contratação. O DILIGEIRO é um ótimo exemplo de software que ajuda a encontrar os melhores profissionais do ramo. É o uso da tecnologia para simplificar a contratação de correspondentes jurídicos.

Nesse mesmo cenário, o marketing jurídico revela a sua importância. Desse modo, é uma atitude inteligente que o profissional crie estratégias eficientes para que consiga manter a sua presença online e possa fidelizar clientes. É importante ressaltar que a publicidade precisa ser feita de maneira moderada e com alguns limites. O Código de Ética e Disciplina da OAB trata sobre esse assunto com mais detalhes.

Dividir tarefas intelectuais

O correspondente atualmente também fica responsável por realizar atividades de cunho intelectual como elaboração de petições, defesas, recursos e outros tipos de peças processuais. Essa tarefa exige conhecimentos teóricos aprofundados no Direito, valendo a pena especializar-se a trabalhar para vários contratantes em um ramo ou tema específicos.

Realizar tarefas presenciais

O correspondente também pode ser contratado para efetuar tarefas presenciais, tais como: a distribuição de petições ou recursos, atuar como advogado em audiência de conciliação e instrução, despachar com o juiz ou em outro órgão público, acompanhar o cliente em exames periciais, fazer cópia e carga de processos físicos, entre diversas outras funções.

Os serviços de correspondente jurídico vêm sendo cada vez mais solicitados por escritórios e empresas que buscam otimizar os seus gastos e contar com o apoio de um advogado experiente e com amplo conhecimento teórico e prático do Direito. Além disso, o compartilhamento de informações propicia o desenvolvimento cada vez maior do profissional.

Está em busca de um profissional para auxiliá-lo? Então, conheça o sistema DILIGEIRO! Essa plataforma significa economia de tempo, redução de custos e total controle da demanda!

Powered by Rock Convert