A Black Friday de 2019 se aproxima e com ela as diversas denúncias de violações aos direitos do consumidor. Como advogado, seu papel é fundamental para esclarecer, educar e orientar a população. Uma postura aberta a informar e auxiliar na coleta de provas fortalece o relacionamento com os clientes, mas vai além disso: reforça o compromisso da advocacia com a defesa dos direitos dos cidadãos.

Quer ajudar o público a ter uma Black Friday mais segura? Conheça os principais pontos a prestar atenção no período e oriente o público em geral, clientes, familiares e amigos!

Como orientar os consumidores?

Orientar para o consumo é uma das formas em que a advocacia atua e esclarece a população. Na Black Friday de 2019, os advogados devem agir sobretudo preventivamente, divulgando informações úteis sobre possíveis problemas, como colher provas e onde buscar seus direitos. 

Você pode preparar matérias temáticas, postagens em redes sociais e até mesmo um comunicado interno direcionado aos clientes do escritório. Os órgãos de defesa do consumidor geralmente preparam materiais informativos, e também vale a pena divulgá-lo!

Quais são as precauções para a Black Friday de 2019?

As precauções para o período devem ser reforçadas, especialmente nas compras online. Assim, algumas boas práticas podem ser realizadas sempre nesse ambiente de compra virtual, como:

  • confirmar os dados da loja, endereço do site e evitar links suspeitos;
  • buscar a reputação da loja em órgãos de proteção ao consumidor e redes sociais;
  • só fazer pagamentos por meios seguros, usando preferencialmente um cartão virtual;
  • fazer “prints” e impressão das páginas de confirmação de compra e ofertas que desejam participar;
  • utilizar um computador com proteção antivírus para evitar roubo de dados.

Quais os problemas mais comuns?

Além das precauções de praxe, alguns problemas são próprios da Black Friday. É importante orientar a população para que pense bem antes de fechar negócio, pois discutir uma prática abusiva causa mais transtornos do que simplesmente não comprar.

Aumento anterior seguido de desconto

As lojas maliciosamente fazem o aumento de preços algum tempo antes da Black Friday, para que seja reduzido na época da promoção. Essa prática ficou conhecida na internet como “tudo pela metade do dobro”. 

As empresas flagradas na manobra podem ser multadas pelos órgãos de defesa ao consumidor. A promoção é, na verdade, uma propaganda enganosa.

Cancelamento de compra

A empresa é obrigada a cumprir a oferta e não pode alegar falta de estoque ou problemas operacionais para descumprir sua parte no contrato. Se os valores das ofertas são exageradamente baixos, indicando um erro no anúncio, o consumidor tem o direito de exigir o cumprimento da oferta, especialmente se já pagou o preço exigido. A efetivação da promoção pode ser pedida inclusive em processo judicial, caso a empresa insista em negar o direito do consumidor de receber o que comprou.

Informações imprecisas

A legislação defende que as empresas devem prestar informações claras sobre os preços, produtos e serviços. Caso o consumidor seja confundido por uma oferta mal noticiada, com condições que não foram divulgadas com clareza, a empresa poderá ser penalizada por descumprimento ao dever de informação.

Orientar a população para a Black Friday de 2019 é uma oportunidade para que o advogado se aproxime do público e cumpra sua missão institucional. Fornecer dicas básicas, quais cuidados tomar e como consumir de forma segura é uma tarefa simples para o advogado, mas de grande valor para a população!

Gostou do artigo? Que tal dividir o conhecimento? Compartilhe este texto com seus amigos em suas redes sociais!

Powered by Rock Convert
TIKAL TECH
Autor